terça-feira, 1 de outubro de 2013

"Eu não sou de Fugir da Raia" - Papo com Thiago Varzé

Por Reca Silva.
Thiago Varzé, grande nome da atual MPB, tem sido um artista transparente, disposto a defender seu trabalho, a arte em que acredita e não está afim de fugir da raia não, como diz em sua música: Pimenteiro. Uma das faixas mais interessantes de seu Novo álbum “Tempo de Ser”, que será lançado, na cidade de São Paulo, no próximo dia 20 de Outubrono Tom Jazz, conhecida Casa Paulistana. Como prova de sua transparência e simpatia, Thiago aceitou conversar um pouco com o Arte na Face referente a sua criação musical, ideologia, o novo álbum e claro sobre o show que nos aguarda no Tom Jazz.

Este Paulista de 30 anos, de Itanhaém, músico, empresário, compositor, produtor, foi criado num ambiente musical “diversificado e eclético”, ambiente que influenciou fortemente o caráter músico de Thiago Varzé, com uma mãe (Izilda)  que dedicou 9 anos de sua vida ao estudo do piano clássico, um pai (Nelson) que tocava desde os tempos do colégio baixo e violão e um tio (Waldir) a quem considerava um cantor de excelentíssima qualidade, “um verdadeiro Crooner”. Com tanta música inclusa em seu dia a dia não tinha como Thiago não se aproximar da música. Mas como grande parte das crianças, a TV foi responsável por sua decisão profissional:

“Com 6 anos assistindo TV com meus pais vi alguém tocando saxofone e disse: "Quero fazer isso! "Na época meus pais não tinham a menor condição de comprar um saxofone e tão pouco eu tinha condições "físicas" de aguentar um. Então me matricularam em um conservatório musical do meu bairro, na Mooca, onde fiz toda a iniciação musical com flauta doce. Depois de um tempo, o professor de saxofone do meu conservatório indicou aos meus pais um lugar que atendesse melhor meu "nível" de consciência e de conhecimento musical. Então e assim fiquei no CLAM dos 8 aos 13 anos estudando saxofone. Estar lá foi estar mergulhado num universo de música e fantasia o tempo todo. Eu amava estar lá, amava meu professor de saxofone "Wadim" (lembro até hoje o nome dele, nossos papos e o incentivo e carinho que ele tinha por mim), alias foi por ele que sai do CLAM, Wadim foi chamado para integrar a banda filarmônica de Brasília.Com a saída dele, saí do CLAM e desisti do sax.”

Quando questionado se este episódio teria apagado sua chama musical Thiago respondeu com ênfase:

Nunca! Minha família em todo encontro em toda festa em toda viagem fazia música. SEMPRE tinha o violão... E foi assim um dia simplesmente tocando o violão e cantando que percebi que eu seria violonista e cantor. Na verdade tocava mais quando estava sozinho... nas rodas eu cantava, batucava, fazia a festa junto... O violão era como um amigo confidente... mas um dia meu pai me viu tocando e percebeu que ali eu tinha me encontrado...

Na mesma época que descobriu o violão e sua arte de cantar, Thiago ganhou de brinde um outro dom divino, o de compor:

Não me fazia muito sentido ficar tocando os mesmos sons que os outros já haviam tocado...Fui procurando sons, brincava de "construir sons" e dava nome a cada um deles. Um dia sem perceber tinha feito uma sequência de acorde (harmonia), uma sequência melódica (melodia) e uns versinhos (a letra).Tinha 12 ou 13 anos...

Quando questionado do primeiro som, Thiago foi sincero em Admitir:

Não me lembro... Na época ainda não tinha meu próprio gravadorzinho, mas com certeza era algo falando de amor, de saudade, de encontro..."meu tema" é sem dúvida o amor, a condição humana e as paisagens...

Thiago entendeu então que precisava mostrar seu dom a outras pessoas, e assim passou a tocar em rodas de samba e Samba rock, aos 16 anos brinca que recebeu seu primeiro cachê: Um pão com linguiça sem direito a repetição numa periferia da Zona Leste de São Paulo. Quando questionado sobre sua profissionalização nos conta:

Na verdade foi um processo...Decidi gravar um disco pra valer.
Com o produtor que eu sempre quis, com os músicos que admirava e admiro, com a músicas que acreditava e acredito... a partir daí as coisas foram se profissionalizando por si... é um caminho... A hora em que você coloca o carro na estrada, você é a estrada, entende? Na estrada tem pessoas possibilidades, curvas, buracos, derrapadas, até batidas...

E assim Thiago decidiu mudar-se para o Rio de Janeiro, precisava de um adicional, estudar e entender mais da música em todos seus ambientes, e suas perspectivas como músico, como ele mesmo nos explicou:

Com 21 para 22 anos... Eu já estava estabelecido aqui em SP como músico da noite. Tocava de domingo a domingo, mas resolvi que era a hora de dar um tempo e ir estudar para entender e estender minhas perspectivas enquanto músico...

A fase em que morou no Rio de Janeiro, foi importante para seu amadurecimento musical, quando questionado quem era o Thiago de “Áudio retrato”  primeiro álbum, Thiago não deixa de descrever-se como um simples jovem idealista e fascinado cada dia mais pela música:

O tempo nesse caso é SEMPRE amigo! Na arte, na música TEMPO é aliado...Se você estuda e investe nisso, obviamente.O Thiago do áudio retrato era um pós adolescente, super influenciado pelo "BUM!" dos músicos e lançamentos da TRAMA, morando sozinho no Rio de Janeiro, estudando fazendo faculdade e testando algumas possibilidades de vir a ser "artista".
Fora isso eu pesava 90Kg a mais!

Ao abrir-se referente aos problemas que passará com “Peso” Thiago contou nos das batalhas que teve para vencer o vilão que atrapalhava sua saúde e estética, que para uma celebridade, é ainda mais cobrada:

Tive um hiato entre Áudio Retrato e Outros Ares, pesquisei, fui atrás do que me emocionava enquanto estética, trabalhei muito na noite aprendendo o que fazer, mas principalmente o que não fazer...Eu fiz a cirurgia de redução do estômago. Foi 1 ano me reconstruindo... fisicamente, psicologicamente, mentalmente.
Tive que me redescobrir, reinventar...

Thiago acreditava que se fosse realmente ser parte integrante da música, deveria então saber tudo sobre esta, em todos seus ambientes e assim acreditou que a melhor forma de sanar suas dúvidas seria aquela mais eficaz, estudar:

Eu gosto de estudar...Trabalhando com música fui estudar comunicação com ênfase em produção audiovisual. Foi ótimo adquirir conhecimento e relacionamento que me levaram por exemplo a fazer a trilha sonora da peça A Ilha no SESI.
A minha pós em Gestão de negócios do entretenimento foi para conhecer o outro lado da moeda. a parte do business, do mercado, da grana, do lob, enfim... A parte onde efetivamente a "arte acontece". Fora isso tenho minha produtora, onde administro a empresa... foi de extrema importância.
Já a Pós em Canção, é por amor a música mesmo... é a ânsia de aprender de estar conectado, de estar inserido no universo mágico da criação da canção... Ou seja na verdade tudo que estudei e estudo interage entre si...

Ainda falando sobre suas conquistas, conhecimentos e evoluções, Thiago contou sua visão do atual álbum, Tempo de Ser:

Tempo de ser surge da inquietação enquanto autor, musico, produtor...É uma visita às minhas "causas" e estéticas musicais. É o cerne que precisava para alinhar o carro à estrada. É a partir desse disco que definitivamente parte o "foco" ou o prumo da minha carreira. Pretendo sempre evoluir em conteúdo, mas sem perder a essência da simplicidade musical como o pilar fundamental de construção da minha música.
É O universo do amor, da saudade, do ser humano, dos lugares, dos encontros...

Sobre as músicas do álbum, o cantor não deixa de falar com orgulho de suas criações:

Existe a história do Pedro (Mariano) participar de A Voz do Brasil que foi uma música que fiz e sempre dizia brincando mas falando a verdade que um dia ele iria cantá-la.
Tem a música que compus pra minha noiva Laisa Lorenti, Por Nós.
Tem Tribo, que traduz o meu sentimento perante a vida...
E tem Juntos, que foi a última música feita aos 47 do 2o tempo e que acho linda e que me remete as coisas boas da vida, tudo junto na mesma canção... E tem Pimenteiro, onde assumo minha fé Cristã, quando digo que todas as superstições pode ajudar, mas só Deus salva e resolve. Muita gente ainda não entendeu do que realmente fala “Pimenteiro”. – Lamentou-se o cantor.

Thiago não pode deixar de mostrar o quanto estava maravilhado com a Participação especial de Pedro Mariano em seu novo CD, principalmente o fato de sempre ser fã assumido do Interprete, a participação surgiu de forma inesperada, quando durante a produção do Álbum, que é produzido por Marcelo Mariano, irmão de Pedro, Thiago contou que quando compôs a canção fez a imaginando como seria Pedro a cantando, Marcelo interessado em sua concepção não perdeu tempo e falou com Pedro que aceitou de imediato, para a surpresa de Thiago a participação:


As maiores emoções que já senti musicalmente falando: conhecer Djavan, Cantar com Jorge Vercílio e ter a participação do Pedro Mariano no meu disco.
Só agradeço a Deus por escutar meus pedidos mais secretos e me presentear com cada momento desses. É indescritível... nenhuma palavra traduz o que sinto...

Thiago ainda ressaltou a admiração que sente por alguns outros artistas e não esconde a vontade de passar ao menos num mesmo ambiente que Milton Nascimento e conhecer a fundo Flávio Venturini, Lô Borges, Beto Guedes, Lenine, Zizi Possi, Nana Caymmi, Luiz Melodia, Moska, Sergio Santos, Monica Salmaso, João Bosco, Chico Buarque, Jair Rodrigues, Jair Oliveira, Luciana Melo, Bruna Caram, Luiza Possi, 5 a seco, Ney Matogrosso, quando questionado sobre o talento compositor dos meninos do 5 a Seco não deixou de ressaltar sobre um deles : Tô Brandileone é um Gênio!

Ainda falou sobre artistas internacionais que sempre o impressionaram: Michael Jackson, Amy, Barry White, Marvin Gaye, Beatles... Areta Franklin, e o MESTRE Frank Sinatra!
Sting,Aha, Beatles, Stivie Wonder.

Um diferencial do Thiago, mediante a atual fisionomia artística brasileira, é a forte concepção política, a
ponto de posicionar-se a favor das Manifestações contra o Governo que estão ocorrendo em nosso território, entrando em eventos criados e claro tentando colocar em seu público a consciência artística, sente pelo fato da nova “Elite Artística” defendida pela mídia não ter pulso cultural suficiente para auxiliar a sociedade na formação de tal consciência política. Quando questionado se tal consciência política, como foi desmascarada em a Voz do Brasil, teria prejudicado seu ingresso em algumas rádios, principalmente as Paulistas, informou não se preocupar:

Eu detesto "artista" em cima do muro. Se atrapalhou não faz a menor diferença, eu morro gritando, mas não morro engasgado!
Muito me espanta o "silêncio" oportuno de alguns. Onde houver uma ferida quem me agrida... Eu irei Cutucar: SEMPRE! Pode ser que eu pague o preço. Mas aí estará pago mesmo...
Acho que a música desde os tempos tribais tem funções sociais como: educar, integrar/inserir, advertir, divertir.


Outra questão que não foi deixada de lado, foi o fato de apenas as rádios paulistas não estarem tocando o novo álbum de Thiago, e este mostrou-se chateado, mas ciente de que ainda deve agradecer pelo espaço que consegue ter, mediante a tantos amigos músicos que ainda lutam pelo seu espaço:

É como não ser bem vindo na sua própria casa. Mas isso não acontece só em SP, tão pouco acontece somente comigo; é reflexo da cultura do país: Medo do novo, mais fácil apostar em sucesso do que dar chance ao novo.Existem inumeráveis artistas que não recebem NENHUMA atenção por parte das rádios.Eu ainda me acho sortudo por ter algum espaço nas demais rádios.

Quando o assunto abordado foram seus fãs, a quem Thiago mostra grandiosa interação nas redes sociais, o cantor não pode deixar de mostrar sua admiração, além de adiantar como será para ele o show do Tom Jazz e o que ele oferecerá ao fã paulista:

Parece papo de revista capricho (Risos) mas eu sei MUITO o quão difícil é se fazer ouvir. Não bastasse isso além de me ouvir, gostam de mim, me apoiam, me dão carinho, incentivo...Como não amar?!
O artista depende dos fãs! Vive pra conquistá-lo! E eu quero sempre estar de frente, perto, ouvindo, e trocando com meus fãs (que insisto em tê-los como amigos, parceiros e cúmplices)
Os fãs são a razão de ser do meu trabalho!!

Com certeza podem esperar minha vida entregue naquele palco, com certeza estarei emotivo, emocionado, provavelmente eu chore e faça alguma piada pra disfarçar...
Receberão de mim além de toda dedicação como músico, o meu melhor e mais verdadeiro sorriso de felicidade plena e insubstituível!

Entrevista Concedida a Reca Silva.

Lançamento Thiago Var zé São Paulo (Tom Jazz) : Ingressos Clique aqui!
Mais informações sobre Thiago Varzé: Site Oficial: 
Página Oficial Facebook:
Clipe Boa Intenção:
Ouça Tempo de ser na Integra: Clique aqui.

  

2 comentários:

  1. Parabéns Reca pela iniciativa e pelo presente...é sempre muito bom estar por perto de quem admiramos e torcemos.
    Realmente não tem como não admirar esse ser que considero iluminado...além de fazer o que ama, é transparente e não tem medo de mostrar á que veio.
    Impossível não querer seu bem, dar carinho e incentivar sempre para que nunca perca esse brilho, genialidade e humildade que lhe fazem ser o que é.
    Se somos a razão do seu trabalho pode ter certeza que estaremos sempre juntos para somar e ver essa luz brilhando cada vez mais.
    Sobre o tão esperado show de lançamento do cd em SP estaremos todos emotivos, sorrindo com o coração e a alma.
    Thiago, obrigada por existir em nossas vidas e compartilhar tão lindamente esse dom que lhe foi confiado. Beijos Tati

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela entrevista Re, e Thiago parabéns, continue sempre, nunca desista, tamo junto! bjos Fernanda Vidal

    ResponderExcluir